Adicionar por Snapcode


Nem a Lady Gaga consegue ter tudo ao mesmo tempo

hd-aspect-1478793201-hbz-lady-gaga-dec-jan-2017-00-index21

Eu nem sou fã da Lady Gaga (se você é, por favor, não desista deste texto por causa desta frase inicial). Queria dizer que, mesmo sem ser fã, me apaixonei pelo documentário “Five Foot Two” do Netflix. Nele a gente vê a cantora sem maquiagem (tri bonita, por sinal), sem aplique e de calça de moletom. Vê ela fazendo coisas “super de gente normal”, tipo amassando um carro no estacionamento sem querer ou comendo frango com a mão (e dando pedaços pros cachorros). Sim, ela faz essas coisas normalzonas entre o apartamento em Manhattan e a mansão em Malibu, porque, né, ela é a Lady Gaga. Mas vocês entenderam a ideia.

Grande parte do documentário ela passa chorando. Literalmente, chorando de dor, por causa das dores musculares crônicas que ela tem. Depois de ver isso eu imaginei o quanto ela deve ter chorado por não ter conseguido vir para o Rock in Rio por causa disso. Antes de saber delas, eu não tinha tido tanta empatia. Sim, mostrar as dores, os tratamentos, as injeções e as lágrimas foi um super marketão, dizem alguns. Mas o marketing não diminui, nem por um momento, a realidade da coisa.

O choro que mais me chamou a atenção no filme todo não foi de dor. Pelo menos não de dor física: quando ela conta que terminou mais um relacionamento e esta era a terceira vez que ela tinha o coração despedaçado. “Minha vida amorosa implodiu. Eu vendi 10 milhões de álbuns e perdi Matt. Vendi 30 milhões e perdi Luke. Agora fiz um filme e perdi Taylor”. Para completar, ela conta que todos os que a gente vê ao redor dela durante o dia, à noite, vão embora, e ela fica completamente sozinha.

Nesse momento, tive dois sentimentos. O primeiro foi de solidariedade com a dor da separação, afinal, quem nunca. E juro que dei até uma choradinha nessa hora (e em várias outras partes do filme. Sério, na parte da vó dela escutando Joanne me jorravam as lágrimas). Mas logo depois não pude deixar de pensar “Meu, você é a fuckin Lady Gaga. Uma das maiores artistas da atualidade, milhões de fãs no mundo todo chorando por ti e tu aí, chorando por macho. Pare. Look at the bigger picture, por favor”.

Assista ao Five Foot Two. Talvez você chore também. Talvez não. Na pior das hipóteses, você vai acabar o filme e chegar à mesma conclusão que eu. E essa conclusão talvez te ajude a entender uma questão muito presente nas nossas vidas, que é a constante insatisfação. Sempre parece que está faltando algo. Ou você tem 17 anos, mas não tem dinheiro, ou você tem dinheiro, mas daí não tem mais 17 anos. Tem um grande amor, mas não é feliz na carreira. Ou tá tudo bem na carreira, finalmente, mas na vida amorosa, um desastre atrás do outro. Enfim, as possibilidades para essas ironias da vida são infinitas. Mas lembre que todo mundo passa por isso. E que nem mesmo a Lady Gaga consegue ter tudo ao mesmo tempo.

Level Cult Facebook